Ministério da Saúde deixa de distribuir o inseticida usado no combate à dengue

0004261_malathion-liquid-concentrate_550

Ministério da Saúde deixa de distribuir o inseticida usado no combate à dengue Mogi Guaçu não dispõe mais de inseticida para prosseguir com o trabalho de nebulização nas regiões mais afetadas por focos do mosquito transmissor de doenças, principalmente a dengue. O Ministério da Saúde está sem o produto que é remetido às DRSs (Diretorias Regionais de Saúde) para serem distribuídos aos municípios. O problema decorre da falta do Malathion EW usado nas nebulizações. O esgotamento do produto ocorreu nesta semana, após o inseticida ser aplicado em regiões que contam com foco elevado de larvas do Aedes aegypti. Não houve reposição por parte do Governo Federal. A falta do inseticida ocorre em um período preocupante em Mogi Guaçu em virtude do aumento de casos confirmados. Em 2019, são 923 casos positivos da doença, além de 106 que aguardam resultado dos exames. No total, neste ano ocorreram 2.051 notificações. Na manhã desta sexta-feira, dia 3, a Secretaria de Saúde reuniu profissionais e representantes de outras secretarias para discutir novas medidas de contenção da doença. A falta do inseticida prejudica bastante o trabalho das equipes que atuam nas ruas em busca de focos da doença. O combate à dengue só é eficiente se ocorrerem ações de controle de criadouros, que já é feito dentro das casas, em paralelo às ações de bloqueio de nebulização, que tem como foco os mosquitos adultos. O inseticida é a única forma de atingir o Aedes na fase adulta. O Município busca formas de garantir a nebulização com a compra de produtos similares ao Malathion. Nesta semana, a nebulização atingiu bairros da zona Sul. A partir de segunda-feira, dia 6, haverá visitas das equipes de controle de criadouros nos bairros Jardim América, Jardim Esplanada, Jardim Suécia, Jardim Califórnia, parque Residencial Zaniboni, Jardim Boa Vista, Chácara Nova Odessa, Jardim Zaniboni, Jardim Veneza, Jardim Novo II e Cercadinho.